CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

CORREIO GOURMAND

Mapa do Portal

 

GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR

GUIA FAZENDO FESTA

GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA

GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS

GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO

 

   

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

 

Apoio cultural:

APROVADO  

 

 

COZINHA FRANCESA

O paraíso da boa  mesa

 

 

 

 

 

A CREPE FRANCESA

 

Virgínia Brandão

 

 

Massa fina, levemente frita na manteiga e recheada, a crepe francesa (la crêpe, em francês) é uma tradição da cozinha popular da França e a principal comida de rua de Paris, onde são vendidas em bancas espalhadas por toda a cidade. Nasceu na Bretanha, no Norte do país, nas mesas simples dos camponeses, mas, na Capital, foi alçando vôos mais altos conforme foram se sofisticando os recheios. De Paris, ganhou o mundo e conquistou adeptos nos quatro cantos do planeta.

 

Com uma textura suave, o sabor da crepe se define a partir do recheio pois a massa mesmo tem sabor neutro. Usualmente, manteiga, açúcar cristal, mel, geléias, cremes, doces em pasta, frutas e sorvetes servem de recheio para as crepes doces e, queijos, ovos, hortaliças, carnes, embutidos, pescados e tudo o mais que a imaginação (e o bom gosto) puder imaginar recheiam as crepes salgadas. Sempre deliciosa e agradando a todas as idades, a massa da crepe tem baixo teor de gordura, o que faz dela um alimento leve e saudável. Evidentemente, dependendo do recheio, isso deixa de ser verdade. Pode ser servida quente ou fria, aberta, enrolada ou empilhada, como entrada, sobremesa ou lanche.
 

Se você está se perguntando qual a diferença entre a crepe e a nossa tão querida panqueca, é mais uma questão de textura mesmo (no que se refere à massa). A diferença básica está no uso da manteiga, que dá  à massa da crepe uma textura mais delicada que o da nossa panqueca tradicional.

 

E é, justamente, na massa que reside o segredo de uma boa crepe. Para que fique com uma  textura delicada, é importante que a massa fique de repouso depois de preparada por, no mínimo, uma hora, dizem os franceses. Os mais radicais falam em, no mínimo, duas horas. A razão é o glúten, proteína presente na farinha de trigo, que se abranda durante um período de repouso, conferindo mais elasticidade e plasticidade à massa. Outra questão é o como bater a massa - à mão dizem os tradicionalistas, no liquidificador dizem os pragmáticos. Na receita que apresentamos abaixo, você vai encontrar as duas maneiras de fazer. Escolha a que preferir, ou as duas, de acordo com o tempo que disponha. Mas, lembre-se, em geral, a tradição gera comidas mais saborosas.

 

A frigideira ideal para crepes é de ferro fundido, um bom condutor de calor, o que faz com que o cozimento se dê de modo uniforme. As antiaderentes também são boas. Recomenda-se uma frigideira de 18 e 22 cm de diâmetro.

 

 

 

 

LA CHANDELEUR


Na França, no dia 2 de fevereiro, festeja-se a Festa das Candeias - la Chandeleur. A tradição, de origem religiosa, transformou-se hoje num alegre convívio familiar à volta da famosa crepe francesa.

Os franceses têm centenas de histórias ligadas às crepes, que surgiram no tempo dos romanos, passaram pela época dos primeiros cristãos e resistiram inalteradas na sua forma e composição até os tempos modernos.

Em torno delas existem engraçadas superstições. Uma delas é tentar jogá-la para o ar, segurando a frigideira apenas com uma das mãos, mantendo a outra ocupada com uma moeda de ouro. Se cair certinho, serão garantidas ao felizardo equilibrista melhores oportunidades e riqueza.


Em muitas regiões os camponeses tinham o costume de deixar uma crepe aberta na cozinha para atrair sorte e afastar o fantasma da fome. É que as crepes, pelo seu formato e cor, lembravam as moedas de ouro usadas na época, os famosos "luíses", cuja denominação se referia aos diversos reis com o nome "Luís" que a França conheceu. Não tendo um "luís" real, tinham a crepe.

Também há quem diga que o formato e a cor da crepe lembram o sol e a luz que se festeja nesse dia. Nas igrejas, as tochas são substituídas por círios benzidos que são mantidos acesos para afastar o mal, as trovoadas, a morte, e proteger as plantações.

 

A tradição também se repete na Bélgica e na Suíça.

 

 

 
  Massa para Crepe Francesa
 
  Você gostou? Então compartilhe!!  
 
 


 

A COZINHA FRANCESA
A CREPE
PETIT GATEAU
Beabá de um Cardápio Francês
AS BALAS E DOCES DA FRANÇA
FRANÇA

 
Todos os vídeos

Como se produz

LA CREPE à PARIS

Nas ruas de Paris, as crepes são preparados à vista dos clientes. No vídeo acima, você vai assistir como acontece essa preparação. 

 

 

Clique aqui

e veja esse vídeo ampliado

 


    Voltar ao topo  


 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 

 

 

Voltar ao topo