CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

CORREIO GOURMAND

Mapa do Portal

 

GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR

GUIA FAZENDO FESTA

GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA

GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS

GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO

 

   

CULTURA GASTRONÔMICO

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

 

Apoio cultural:

APROVADO  

 

 

A QUESTÃO NÃO É SÓ O QUE VOCÊ SABE, MAS COMO VOCÊ USA O QUE SABE

 

 

JB Vilhena

 

 

Muita gente pensa que precisa ficar o tempo todo aprendendo coisas novas para ser inovador. Não é bem assim. Na verdade precisamos aprender a recombinar as coisas que sabemos, para poder realmente inovar. Isso significa que ser criativo é muito mais uma questão de conciliar coisas que aparentemente não se combinam. Nada tem a ver com ficar o tempo todo inventando novidades.

 

Já faz muito tempo que aprendi a conjugar quatro verbos verdadeiramente fantásticos: recolocar, reposicionar, reagrupar e repor.

 

RECOLOCAR

Recolocar é ter uma coisa no lugar de várias coisas. Vejamos o IPad, objeto de desejo de muitos de nós. Ele substitui, ao mesmo tempo, o smartphone, o desktop, o notebook, o netbook e o ultrabook. Talvez seja por isso que, pelo preço de um Ipad mais turbinado, nós conseguiríamos comprar os quatro aparelhos e ainda sobraria algum troco. O interessante aqui é que embora a Apple tenha conseguido produzir algo que torne supérfluo outros aparelhos, ainda tem gente que usa, simultaneamente, o Iphone, um desk ou laptop e o IPad. Para a famosa fabricante pode ser ótimo, pois ela ganha ainda mais dinheiro. Mas para minha cabeça meio utilitarista soa algo engraçado ver essas pessoas se enrolando para utilizar coisas que somente duplicam (ou triplicam) a complexidade de lidar com elas.

 

REPOSICIONAR

Reposicionar é algo que nos foi ensinado a partir da fantástica teoria que Al Ries e Jack Trout formularam ainda nos anos 80 da década passada. Significa que alguma coisa que antes tinha um determinado uso, de repente passa a ser utilizada por razões diferentes. Pensemos nos famosos MBAs, que no passado eram chamados de cursos de Pós-Graduação. Antigamente as pessoas faziam uma pós-graduação para adquirir conhecimentos mais avançados do que aqueles que tinham recebido na graduação. Hoje muitos freqüentam esse tipo de curso porque querem ter as três letrinhas (MBA) iluminando seus currículos. Também há aqueles que o fazem para “lavar o diploma”. É o caso das pessoas que não tiveram a oportunidade de freqüentar uma universidade de primeira linha e precisam poder ostentar um diploma originado em instituições conhecidas e respeitadas. Por mais diferentes que sejam as razões, o número de pessoas que faz MBAs para obter novos conhecimentos é cada vez menor.

 

REAGRUPAR

Reagrupar é juntar coisas diferentes e oferecer como um pacote único. Pensemos nas companhias de seguro, que oferecem planos para seus segurados que incluem coisas tão diversas quanto assistência doméstica para problemas elétricos, serviços domiciliares de chaveiro ou mesmo aconselhamento financeiro. Isso tudo para quem só queria um seguro de automóvel.

 

REPOR

O verbo repor é conjugado por aquelas empresas que garantem sua satisfação, mesmo que tenham que substituir algo comprado originalmente por coisas bem diferentes. É o caso da agência de viagem, que aceita trocar o bilhete do cruzeiro por uma viagem de bicicleta pela Europa. Ou ainda da empresa de treinamento que aceita trocar o programa de dois dias por um conjunto de sessões de coaching.

 

Seja lá qual for o verbo que você quer conjugar na sua empresa, fica aqui um conselho. Não tente reinventar a roda. Mas fica também uma advertência: só é possível recolocar, reposicionar, reagrupar e repor coisas que você conhece. Não adianta tentar repensar algo que não ainda existe.

 

 

JB Vilhena - Consultor Senior do MVC, Professor e Coordenador dos MBAs Executivos da FGV, Autor de seis livros

 

vilhena@institutomvc.com.br

 

 

 
  Você gostou? então compartilhe!!  
 
 
Voltar à página inicial de MARKETING PARA GASTRONOMIA
 
 













    Voltar ao topo  


 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 

 

 

Voltar ao topo