CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO GASTRONOMIA EM NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

CORREIO GOURMAND

Mapa do Portal

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

   

Apoio cultural: 

APROVADO  

 

 

 

DIA DE REIS

 

 

O “Dia de Reis”, 06 de janeiro, fecha o ciclo natalino que festeja o nascimento de Jesus iniciado à meia noite de 24 de dezembro. Também chamada de "Festa da Epifania" (do grego epiphanei, que significa aparição ou manifestação divina - já que, simbolicamente, foi nesta ocasião que Jesus foi apresentado aos outros povos), a data é festejada em toda Europa católica, sobretudo nos países latinos e com grande destaque na Península Ibérica. Em muitos países, é quando acontece a troca de presentes.

 

 

 

 

 

 

Os Reis Magos

 

Segundo a tradição cristã, os Reis Magos foram homens que, guiados por uma estrela, saíram do Oriente e viajaram até Belém para visitar e adorar Jesus, tendo alcançado o seu intento no dia 6 de janeiro, portanto, 12 dias após o nascimento do menino-Deus.

 

Eram os Magos três reis?

 

Entretanto, repare no texto ao lado. Ele, praticamente, abre o Evangelho Segundo São Mateus, o primeiro do Novo Testamento, vindo após, apenas, da genealogia e do nascimento de Jesus. É o único texto não apócrifo da Bíblia que fala nos Magos que vieram do Oriente para adorar Jesus.

 

Mas, note que, em momento algum, o evangelista diz que os visitantes eram reis, nem mesmo que eram três, chama-os, apenas, de "magos", termo que, naqueles tempos, referia-se à classe dos sábios ou eruditos. Talvez fossem astrólogos ou astrônomos, já que chegaram à Judéia guiados por uma estrela.

 

Ainda assim, a tradição cristã os consagrou como os Três Reis Magos, reconhecendo-os como Baltasar, rei da Arábia, de cor negra, Melchior, rei da Pérsia, de cor clara, e Gaspar, rei da Índia, de cor amarela. Eles representavam os povos de todas as nações conhecidas da época, simbolizando a homenagem de todos os povos da Terra ao Rei dos Reis.

 

 

Os presentes

 

Os Magos traziam consigo presentes para Jesus que tinham significados especiais:

  • O ouro, que representava nobreza e era presente oferecido apenas a reis;

     

  • O incenso, , um perfume que se queima, é usado durante as celebrações rituais e venerações religiosas, representando a fé e a divindade. Era um presente oferecido apenas a sacerdotes;
     

  • A mirra, usada para embalsamar corpos, simbolizando a imortalidade e que era presente oferecido aos profetas.

 

Provavelmente, justamente por serem três os presentes, concluiu-se que eram três os magos que presentearam.

 

 

Culto aos Reis Magos

 

O culto aos Reis Magos começou na Idade Média. No século 6, suas relíquias foram transladadas de Constantinopla (Istambul) para Milão. Em 1164, com os três já venerados como santos, elas foram colocadas na catedral de Colônia, na Alemanha, onde permanecem até hoje.

 

No século 19, os Reis Magos tornaram-se distribuidores de presentes às crianças. Em muitos países, como Espanha, Portugal, Itália, México, Argentina, por exemplo, a troca de presentes não acontece no dia de Natal mas, sim, no dia 06 de janeiro, e não é o Papai Noel que traz os presentes, mas os Reis Magos. Muitas vezes, tal como acontece com o Papai Noel, os pais se fantasiam de Reis Magos para distribuir os presentes.  Na Espanha, no dia 6 de janeiro há desfiles com reis magos em todo o país. De suas carruagens, eles jogam balas e doces para as crianças.

 

Na Itália, é a Befana que traz presentes para os bons e castigo para os maus meninos. De acordo com a lenda, os três Reis Magos pararam durante a ida até Belém e pediram comida e abrigo a uma velha senhora. Ela negou ajuda e então eles seguiram a viagem com fome e cansados. A velha senhora sentiu depois um aperto no coração, mas os Reis Magos já estavam muito longe. A lenda conta que A Befana ainda vaga pelo mundo procurando o menino Jesus e assume várias formas: uma rainha, uma fada, uma velha ou uma bruxa.

 

 

Dia de Reis no Brasil

 

No Brasil, inúmeras comunidades, principalmente no interior do País, promovem os chamados "Reisados", "Folias de Reis" ou "Festa dos Santos Reis". São festas folclóricas que chegaram ao Brasil junto com os portugueses na época da colonização e receberam a influência das origens européias da celebração, mas que adotaram formas, cores e significados locais, próprios dos brasileiros, e são importantes expressões da cultura nacional.

 

Durante os folguedos de Reis, os grupos saem caminhando pelas ruas das cidades, ou por comunidades rurais, levando as bênçãos do Menino para as pessoas que os recebem. É tradição que as famílias ofereçam comidas aos integrantes do grupo, para que possam levar as bênçãos por todo o trajeto. As visitas, ou “giros”, acontecem entre os dias 24 de dezembro e 6 de janeiro.

 

Geralmente os integrantes do grupo da folia de reis são: mestre, contramestre, donos de conhecimentos sobre a festa, músicos e tocadores, além dos três reis magos e do palhaço, que dá o ar de animação à festa, fazendo a proteção do menino Jesus contra os soldados de Herodes, que queriam matá-lo.

Uma das marcas da “Folia de Reis” é a forte religiosidade que seus participantes possuem na relação de fé nos seres divinos. Uma folia constitui sinal de alegria pelo nascimento de Jesus Cristo. Além disso, são organizadas em conseqüência de uma promessa, sendo geralmente feita pelo mestre da Companhia ou de outra pessoa que o tenha solicitado. O compromisso é livremente assumido, porém, a folia teria por obrigação sair um mínimo de sete anos a fim de se alcançar a graça desejada. Os motivos para se fazer as promessas são os mais variados, entre eles: a cura de doenças, o cumprimento de desejos, a superação de dificuldades, entre outras.

 

Por conta disso, acaba havendo uma espécie de relação entre os participantes e os seres divinos, entre os quais é proposto “um triângulo de fé inspirado em reciprocidade onde promessas transformam-se em bênçãos, proteção, e recompensas para aqueles que determinadamente cumprem suas promessas com os Reis Magos”.

 

No decorrer do “ritual sagrado”, os versos adquirem grande expressão, pois são cantados em forma de toada, buscando atender as necessidades dos participantes e refletir sobre a realidade das famílias visitadas pelos grupos. Durante a cantoria os foliões se alternam em cantar versos enfatizando as promessas feitas e confirmando a eficácia do devoto no cumprimento de seu voto. A música é repetida infinitas vezes durante os dias da jornada. Há casos em que ela é considerada como típica daquela companhia e varia somente diante da adoração do presépio.

 

Encerramento das comemorações natalinas

 

O Dia de Reis, marca, ainda, para os católicos, o encerramento dos festejos natalícios, sendo o dia em que são desarmados os presépios e retirados todos os enfeites de Natal.

 

 

Os Reisados e as Folias de Reis em imagens

 

A denominação de Reisado persiste ainda em Alagoas, Sergipe e Bahia. Em diversas outras regiões o folguedo é chamado de Bumba-meu-boi, Boi de Reis, Boi-Bumbá ou simplesmente, Boi. Em São Paulo é conhecido como Folia de Reis.

 

 

 

 

 

 

 

 
  Você gostou? então compartilhe!!  
 
 

Fontes:

 

CÂMARA CASCUDO, Luis da. Dicionário do Folclore Brasileiro. 10ª Ed. Ediouro, Rio de Janeiro, 2010.

 

Pergo, Vera Lúcia - “OS RITUAIS NA FOLIA DE REIS: UMA DAS FESTAS POPULARES BRASILEIRAS”

Gaspar, Lúcia – Reisado - Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife

 

 

 

 

 

 

 

“1 Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do Oriente a Jerusalém. 2 Perguntaram eles: Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo. 3 A esta notícia, o rei Herodes ficou perturbado e toda Jerusalém com ele. 4 Convocou os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo e indagou deles onde havia de nascer o Cristo. 5 Disseram-lhe: Em Belém, na Judéia, porque assim foi escrito pelo profeta: 6 E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo (Miq 5,2). 7 Herodes, então, chamou secretamente os magos e perguntou-lhes sobre a época exata em que o astro lhes tinha aparecido. 8 E, enviando-os a Belém, disse: Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-lo. 9 Tendo eles ouvido as palavras do rei, partiram. E eis que e estrela, que tinham visto no Oriente, os foi precedendo até chegar sobre o lugar onde estava o menino e ali parou. 10 A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria. 11 Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra. 12 Avisados em sonhos de não tornarem a Herodes, voltaram para sua terra por outro caminho.”

 

Evangelho Segundo São Mateus

Capítulo 2, Versículos 1 a 12

 

 

 

 

 

O BOLO DE REIS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    Voltar ao topo  

 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo