CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO GASTRONOMIA EM NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Mapa do Portal

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

  DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS  

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

MACARRÃO

Apoio cultural: 

APROVADO  

 

 

A palavra "macarrão" vem do grego "makària" (caldo de carne enriquecido por pelotinhas de farinha de trigo e por cereais, cerca de 25 séculos atrás). A palavra "pasta" (massa dos italianos) vem do grego "pastillos" (pastillos é citado em seus textos por um poeta, especialista em versos culinários, o grande Horácio).

Finalmente, os latinos da época de Cristo já se deliciavam com um prato batizado de "macco" (caldo de favas e massas de trigo e água.). Seguramente, da reunião dessas influências, aparecem na Ilha da Sicília, cerca de mil anos atrás, o verbo "maccari" (significa esmagar ou achatar com muita força).

 

 
HISTÓRIA Do MACARRÃO

 

Virgínia Brandão

 

Sabe-se que o macarrão começou a ser preparado logo que o homem descobriu que podia moer alguns cereais, misturar com água e obter uma pasta cozida ou assada. É difícil dizer, porém, onde e quando isso aconteceu. A história do macarrão se confunde com alguns fatos históricos, que mostram a trajetória desse apreciado produto ao longo dos séculos.

 

Textos de civilizações antigas relatam que os assírios e babilônios, por volta de 2500 a.C., já conheciam um produto cozido à base de cereais e água. Mas, a primeira referência do macarrão cozido, e a mais próxima ao Ocidente, está no Talmud de Jerusalém, o livro que traz as leis judaicas do século 5 a.C. O "itriyah" dos antigos hebreus era uma espécie de massa chata usada em cerimônias religiosas. Em Roma, no século 7 a.C., comia-se uma papa de farinha cozida em água, chamada "pultes". Com legumes e carne era chamada de "puls púnica". Com queijo fresco e mel, "puls Julia".

 

Na versão mais comum, o macarrão teria chegado ao Ocidente em 1295, pelas mãos de Marco Polo, mercador veneziano que visitou a China, onde passou 17 anos e teria conhecido a iguaria. Mas, na verdade, isso não passa de uma lenda difundida a partir dos Estados Unidos no final do século 19, Entretanto, na Itália, em 1279, foi registrada, em um inventário, que soldado genovês, Ponzio Bastione, deixava à família uma "cesta de massas".

 

A palavra utilizada no inventário era macaronis, que seria derivada do verbo maccari, de um antigo dialeto da Sicília, que significa achatar que, por sua vez, vem do grego makar, que quer dizer sagrado.  O termo macarrão foi usado na Idade Média para indicar vários tipos de massas.

 

A versão mais aceita pelos historiadores até a descoberta dos arqueólogos chineses  em 2005 (ver box à direita) afirmava que os árabes são os verdadeiros pais do macarrão, levando-o à Sicília no século 9, quando conquistaram a maior ilha italiana. Era uma massa seca para melhor conservação nas longas travessias pelo deserto.

 

Nesta época, a Sicília tornou-se o centro mais importante do comércio e exportação de macarrão. Os navegadores genoveses transportavam o produto para importantes portos do Mediterrâneo, como Nápoles, Roma, Piombino, Viareggio.

 

Apesar das confusões, uma coisa é certa: a partir do século 13, os italianos foram os maiores difusores do macarrão no mundo e inventaram mais de 500 variedades de tipos e formatos. São também os maiores consumidores, refestelando-se com 28,2 kg de massa ao ano por pessoa. Os brasileiros aparecem como 4º do ranking, com um consumo anual de 5,8 kg por pessoa.

 

 

MACARRÃO NO BRASIL

 

No Brasil, aliás como em boa parte do mundo, o macarrão chegou pelas mãos dos imigrantes italianos, na segunda metade do século 19 e foi facilmente assimilado e introduzido nos nossos hábitos alimentares, principalmente na região Sul do país. O crescente interesse da população pelo produto, fez surgir pequenas fábricas de macarrão, que tinham sempre como mão de obra a família italiana. E, foi assim, com uma produção rudimentar, de baixo volume e bem caseira, até começarem a surgir as primeiras indústrias de massas alimentícias, que, nos dias atuais, possuem modernas máquinas e alta tecnologia e respondem pela terceira maior produção do mundo.

 

 

Fontes:

ABIMA

Cia Boa Notícia

Old Cook

Gastronomia Brasil.com

Você gostou? então compartilhe!!

 
 
 

 

O fio de macarrão acima foi deixado no prato por um chinês apressado há cerca de 4 mil anos (foto: reprodução/ Nature)

 

 

A origem perdida do macarrão

 

Em 2005, cientistas chineses encontraram, em escavações no sítio arqueológico de Lajia, junto ao Rio Amarelo, na China, o mais antigo vestígio conhecido da fabricação do macarrão pelo homem. Com cerca de 4 mil anos, o fio de macarrão amarelo tem cerca de 50 cm de comprimento por 0,3 cm de espessura, e estava dentro de uma vasilha virada de cabeça para baixo, soterrada a cerca de três metros da superfície.

 

Os pesquisadores relatam, na revista científica Nature, que o macarrão foi feito de grãos de milheto (uma espécie de milho), e não de farinha de trigo, como atualmente. A diferença, entretanto, pára por aí: sua produção, como a do nosso macarrão atual, consiste em farinha amassada com água, trabalhada e cortada no formato desejado e depois cozida em água fervente.

 

A descoberta resolve uma discussão antiga sobre quem criou o macarrão: chineses, italianos ou árabes. O cientista Houyuan Lu, do Instituto de Geologia e Geofísica da Academia de Ciências de Pequim e líder da equipe responsável pelo achado, disse que, até agora, o registro mais antigo do prato constava de um livro escrito entre os anos 25 e 220 d.C.. "Nossa descoberta indica que o macarrão foi produzido pela primeira vez na China", afirma o acadêmico.

 

Segundo ele, o antigo assentamento de Lajia (considerado uma espécie de Pompéia chinesa por conta de sua riqueza arqueológica) foi atingido por uma catástrofe repentina. Entre os despojos estão esqueletos em várias posições incomuns, sugerindo que os habitantes da área podem ter tentado fugir.

 

"Baseado em evidências geológicas e arqueológicas, ocorreu um terremoto catastrófico e, em seguida, inundação das águas do rio", explicou outro integrante da equipe, Kam-biu Liu, da Universidade Estadual da Louisiana, nos Estados Unidos.

 

 

 

 

 

 

Voltar ao topo  

 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo