CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Mapa do Portal

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

  DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS  

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

ALIMENTOS

 

Apoio cultural: 

APROVADO  

     
 

CAQUI

 

Virgínia Brandão

 

 

O caqui é o fruto do caquizeiro, árvore da família das Ebenáceas, que, também, possui espécies que fornecem madeira nobre, como o ébano, e outras utilizadas para fins paisagísticos. As espécies que produzem frutos comestíveis pertencem ao gênero Diospyros, - palavra que vem do grego dióspuron e significa "alimento de deus" (no caso grego "alimento de Zeus" - dios=deus/pyros=alimento). 

 

Originário da China, onde é muito cultivado assim como no Japão e na Coréia do Sul, o caqui foi introduzido no Brasil em torno de 1890, em São Paulo, e expandiu-se a partir de 1920 com a imigração japonesa. As regiões Sul e Sudeste são as maiores produtoras, lideradas por São Paulo, com uma área cultivada de 3.610 hectares (2003), seguidas pelo Paraná, com 1.472 hectares (2001), e pelo Rio Grande do Sul com 1.232 hectares (2001).

 

O Estado de São Paulo possui uma cultura bastante desenvolvida e de relevante importância econômica e seus quase um milhão de pés, produzem cerca de 87 mil toneladas de caqui por ano. Os principais municípios produtores são Mogi das Cruzes (40%), Ibiúna (7%), Guararema e Morungaba (5% cada).
 

A colheita do Caqui paulista ocorre de fevereiro a junho, com pico nos meses de março e abril. São Paulo é responsável por 92% das 43,7 mil toneladas de caqui recebidas pelo Entreposto Terminal de São Paulo da CEAGESP, sendo a variedade Rama Forte a mais comercializada (28 mil toneladas).

 

Características da planta: O caquizeiro é uma planta perene, de porte arbóreo e folhas caducas. Apresenta desenvolvimento inicial lento, com longevidade de várias dezenas de anos.

 

Bastante rústico, ele se desenvolve bem nos mais variados tipos de solos, desde que sejam dotados de boa capacidade de retenção de umidade. As condições mais propícias, no entanto, são encontradas nos solos areno-argilosos, profundos e bem drenados.

Trata-se de planta tipicamente subtropical, com ampla capacidade de adaptação às nossas condições ambientais. Embora seja uma espécie de folhas caducas, como são as fruteiras de clima temperado, sua área de cultivo costuma se estender pelas mesmas regiões de cultivo das plantas cítricas, exigindo precipitações anuais entre 1.000 e 1.500 mm. Um importante cuidado a ser tomado é a proteção contra ventos fortes, principalmente na fase de frutificação.

Instalado o pomar, o caquizeiro entra em frutificação a partir do terceiro ano e daí em diante a produção vai crescendo progressivamente, até por volta do décimo quinto ano, quando praticamente se estabiliza. De um modo geral, uma planta adulta, em culturas bem conduzidas, produz de 100 a 150 kg de frutos por ano. A colheita dos frutos é feita quando eles perdem a coloração verde e adquirem a tonalidade amarelo-avermelhada, sendo a seguir transportados para galpões, onde são classificados e embalados.

 

Seu período de safra vai de fevereiro a abril.

Fruto:

O caqui (Diospyros kaki),  é formado por bagas grandes e doces, cuja cor varia do amarelo ao vermelho. É rico em amido, pectina, açúcares, apresentando teor muito alto de vitamina A e baixo teor de ácidos.

 

Espécies cultivadas no Brasil
O número de cultivares de caqui comercializadas no Brasil é bastante grande, sendo que estas podem ser enquadradas nos seguintes três grupos quanto à adstringência e cor da polpa:

 

a) Sibugaki (tipo taninoso) - apresentam frutos com polpa sempre taninosa (adstringente) e de cor amarela, independente da presença ou não de sementes. Estes frutos necessitam tratamentos pós-colheita com etileno, gás carbônico ou etanol para degradação do tanino (fenóis) para se tornarem aptos para o consumo. As principais variedades do tipo taninoso são: Taubaté, Pomelo e Rubi.

 

b) Amagaki (tipo doce) - a polpa dos frutos é amarela e não apresenta tanino, contendo ou não sementes. São também chamados de caquis doces ou duros, ou ainda de chocolate branco.  As principais variedades do tipo doce são: Fuyu, Jiro e Fuyuhana.

 

c) Variável - frutos destas cultivares, quando oriundos de flores não polinizadas e, por isso, sem sementes, apresentam polpa amarela e rica em taninos, necessitando de destanização. Porém, quando ocorre polinização há formação de sementes e a polpa apresenta-se escura de cor chocolate e sem tanino, estando aptos para o consumo na colheita. As principais variedades do tipo variável são: Rama Forte, Giombo e Kaoru.

As cultivares mais exploradas variam com as regiões do país, sendo que em São Paulo prevalecem as cultivares Taubaté, Rama Forte e Fuyu e no Rio Grande do Sul as cultivares Fuyu e Kioto. A cultivar Fuyu, do grupo Amagaki, é a mais importante no mercado internacional, sendo inclusive exportada pelo Brasil para a Europa, porém ainda em pequena escala, mas com perspectivas de expansão nos próximos anos.

 

 

Alimento excelente
 

Propriedades Nutricionais
É boa fonte de Cálcio, Fósforo, Sódio. Possui também um bom teor de Betacaroteno (provitamina A), que é indispensável à visão, conserva a saúde da pele, evita infecções, auxilia o crescimento, faz parte da formação do esmalte dos dentes, além de ser um dos principais anti-oxidantes utilizados contra o envelhecimento.

 

Contém, também, as vitaminas B1 e B2, além de quantidade considerável de fibras que regulam as funções intestinais. A vitamina B1 tonifica o músculo cardíaco e ajuda a regular o sistema nervoso e o aparelho digestivo. A vitamina B2 é essencial ao crescimento, evitando ainda a queda de cabelos.

Propriedades Medicinais
É recomendado contra afecções do fígado, problemas intestinais, catarros da bexiga e as enfermidades das vias respiratórias. As pessoas que sofrem do estômago e que apresentam manifestações de acidez, dores ou câimbras, obtêm sensível melhora comendo 2 ou 3 caquis por dia. Por ser rico em betacaroteno, possui ação sobre os dentes, pele, olhos, unhas, cabelos e na defesa do organismo.

Valor Calórico
100 gramas de caqui fornecem 78 calorias.

Como Comprar
Na hora da compra, deve-se dar preferência a caquis sem rachaduras, firmes e de cor uniforme. O caqui-chocolate é mais resistente.

 

No Estado de São Paulo, os preços do produto, no caso das variedades dos tipos taninoso e variável, oscilam durante a safra; de um modo geral, em fevereiro e começo de março, são elevados, caindo bruscamente a partir da terceira semana de março, com a entrada de grandes quantidades no mercado, para depois reagir no fim da safra, em maio. No caso das variedades do tipo doce, o preço permanece mais ou menos estável durante todo o período de safra.

Como Armazenar
Devem ser guardados em geladeira ou lugar fresco onde se conservam por até 5 dias.

Como Preparar
Para que não perca suas qualidades nutritivas, o caqui deve ser consumido sempre ao natural, podendo ser usado na preparação de doces, sucose saladas. Só deve ser lavado na hora de ser consumido, pois azeda facilmente.

Cuidados: Essa fruta pode causar nódoas nas roupas. Para eliminar essas manchas, lave a peça de roupa em água corrente e abundante, esfregando bem o lugar manchado.

 

Industrialização
O caqui se presta para a industrialização, podendo ser usado tanto para preparo de passa, como para a elaboração de vinagre.

A passa de caqui é um produto altamente nutritivo, de sabor bastante agradável, cujo consumo, em nosso país, se restringe aos membros da colônia japonesa, talvez devido ao fato de ser produzida em pequenas quantidades. Os frutos destinados à secagem devem ser colhidos 'de vez', nem muito verdes nem muito maduros e não precisam ser destanizados. A relação entre o peso dos frutos frescos e o de caqui-passa é de aproximadamente 5 para 1.

O caqui pode também ser usado para a produção de vinagre, proporcionando alto rendimento em mosto para fermentação, da qual resulta um produto de qualidade muito boa. A grande vantagem do processo é que ele permite o aproveitamento dos frutos que normalmente são descartados, permitindo a obtenção de 60 litros de vinagre com elevada graduação acética a partir de 100 kg de caquis maduros.
 


Fonte: Vitaminas & Cia

Hortibrasil

 

 
  Você gostou? Então compartilhe!!  
 
Voltar à página principal de FRUTAS
 
 

 

 

 

 

 

CAQUI

Nome científico: Diospyros kaki
 

Outros idiomas:

Francês - Kaki

Italiano - Cachi

Espanhol - Caqui

Inglês Persimmon

Alemão - Persimone


 

Caquizeiro

Fuyu

Rama Forte

Giombo

 

    Voltar ao topo  

 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright   -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo