CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Mapa do Portal

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

  DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS  

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

ALIMENTOS

 

Apoio cultural: 

APROVADO  

   

 

Physalis

Virgínia Brandão

 

 

Originária da Amazônica e dos Andes, a physalis possui variedades cultivadas na América, Europa e Ásia. Na Colômbia, é conhecida como uchuva e no Japão, como hosuki. É uma planta arbustiva, com folhas aveludadas e triangulares, que pode chegar aos dois metros de altura.

Tem tudo para ser considerada exótica: nome, aparência e preço. Apesar disso, no Norte e Nordeste do País é comum nos quintais e é conhecida por nomes que não podiam ser mais brasileiros: camapum, joá-de-capote, saco-de-bode, bucho-de-rã e mata-fome. Essa variedade nativa no Brasil é a Physalis angulata,
pertencente à grande família das Solanaceae, a mesma do tomate, da batata, do pimentão e das pimentas.


As frutas são delicadas, pequenas e redondas, com a parte comestível protegida por uma delicada folha seca em formato de balão, assemelhada ao papel de arroz. A coloração vai do amarelo ao verde, passando pelo vermelho.

 

Bastante sofisticada, possui um sabor único, levemente ácido e adocicado, sem comparação com outra fruta. Muito versátil, a physalis é consumida ao natural e usada na preparação de doces, geléias, sorvetes, bombons e em molhos de saladas e carnes, aos quais acrescenta um toque exótico. Atualmente, tem sido muito utilizada, também, como tira gosto para degustação de vinhos. Mas, talvez, a mais perfeita de suas combinações seja com o chocolate (experimente mergulhá-las em fondue de chocolate).

 

Nos países europeus e nos asiáticos, a physalis surge em deliciosas receitas, como a britânica gooseberry fool, um creme que combina a fruta com chantilly. A refrescante sobremesa é feita com uma physalis esverdeada, apelidada de limão do norte. Os australianos a transformam em conserva. Pouca gente sabe, mas o tomatillo, produto de destaque na culinária mexicana, é na verdade uma physalis cultivada e consumida desde os tempos dos astecas e indispensável no preparo da típica salsa verde.

 

Apesar de sua popularidade no Norte e Nordeste, a physalis ainda é novidade no Sul e Sudeste. Já é encontrada nos supermercados, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, mas grande parte é importada da Colômbia, a pioneira na produção em grande escala da fruta e que abastece o mercado Norte Americano e Europeu. O preço é alto: uma cestinha com 100 gramas custa entre oito e dez reais. Isso ocorre porque a produção comercial no Brasil é pequena.

 

 

Usos Medicinais

 

É rica em vitaminas A, C, fósforo e ferro, além de alcalóides e flavonóides. Purifica o sangue, fortalece o sistema imunológico, alivia dores de garganta e ajuda a diminuir as taxas de colesterol. A população nativa da Amazônia utiliza os frutos, folhas e raízes no combate à diabetes, reumatismo, doenças da pele, bexiga, rins e fígado. Estudos científicos recentes em andamento e ainda não concluídos revelaram forte atividade como estimulante imunológico combatendo alguns tipos de câncer além de efeito antiviral contra os vírus da gripe, herpes, pólio e HIV tipo 1. Mais recentemente cientistas da Fundação Oswaldo Cruz do Ceará descobriram uma substancia chamada "physalina" que atua no sistema imunológico humano evitando a rejeição de órgãos transplantados. A FioCruz e seus cientistas estão requerendo a patente desta descoberta.

 

 

Plantio

 

A physalis é uma planta rústica, que exige poucos cuidados, e que até agora não apresentou doença significativa. Desenvolve-se bem em regiões quentes, de clima tropical e subtropical, mas tolera bem o frio. Tanto que o município de Carazinho, no Rio Grande do Sul, está se tornando um pólo produtor, com o plantio planejado de 40 mil plantas. O plantio pode ser feito durante o ano todo. Antes de plantar, é aconselhável realizar análise de solo, que deve ser preparado com recomendações para tomate. Os melhores solos são os areno-argilosos e pouco ácidos.

Inicia a produção de frutos a partir do 4 a 5 mês e estende a produção por um período de até 6 meses se for submetida a um bom trato cultural. As frutas podem chegar a pesar de 4 a 9 gramas por unidade com diâmetro de 1 a 2 centímetros. Cada planta pode produzir de 2 a 4 quilos de fruto. Bastante rústica e de fácil manejo pode-se introduzir até 6.000 plantas por hectare.

.

 

Fontes: Embrapa

Enciclopédia Britânica

 

 

 

 

 

  Você gostou? Então compartilhe!!  
 




Voltar à página principal de DICIONÁRIO GASTRONÔMICO DE ALIMENTOS - Frutas

 
 

 

 

 

 

PHYSALIS

Nome científico: Physalis angulata

 

 

Outros idiomas:

Francês - Physalis

Italiano - Physalis

Espanhol - Physalis

Inglês Physalis

Alemão - Blasenkirschen

 

 

 

 

 

 

 

 

    Voltar ao topoa>  

 

  no Correio Gourm@nd  

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright   -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo