CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO GASTRONOMIA EM NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Mapa do Portal

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

  DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS  

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

Alimentando o saber, aprimorando o paladar...

Apoio cultural: 

APROVADO  

 

MENTA & Hortelã


 

Menta, hortelã... Você, com certeza, já se viu diante de algum produto nestes dois sabores e deve estar se perguntando até agora qual a diferença entre eles.

 

O fato é que Mentha é um gênero botânico da enorme família das Lamiaceae, gênero esse que conta com uma grande quantidade de espécies que são vulgarmente chamadas de mentas ou hortelãs. Ou seja, na prática, é só uma questão de nomenclatura, pois, na verdade, tudo é menta.

 

Originárias da Europa, Ásia e Península Arábica, existem cerca de 25 espécies de mentas silvestres que se espalharam pelo mundo todo e se desmembraram numa grande quantidade de híbridos, já que a polinização das mentas acontece de forma cruzada, dando origem a uma infinidade de novas espécies. Essas novas espécies, embora biologicamente diferentes, acabam sendo muito parecidas na aparência, o que dificulta bastante a  classificação das mentas.

 

 

E não existe nenhuma diferença entre elas?

 

Sim, existem várias diferenças que vão de aspectos biológicos a sabor e aroma bem distintos, conferindo a cada espécie particularidades e predisposição a usos bem diferentes.

 

No que tange à gastronomia, duas espécies se destacam e todas as outras acabam sendo consideradas como pertencentes a algum dos dois tipos que são:

 

1-  Mentha spicata L, que chamamos de menta (spearmint)

2- Mentha x piperita L, que chamamos de hotelã-pimenta (peppermint) ou só de hortelã, e que é a mais popular e refrescante de todas as espécies.

 

 

Diferenças entre as principais Mentas

 

NOME VULGAR MENTA HORTELÃ
NOME CIENTÍFICO Mentha spicata Mentha x piperita
SABOR Mais suave Forte e ardido
USO Tempero Sabor de pastas de dentes e balas e como fitoterápico

PECÍOLO

pequena haste que liga a folha ao caule principal

Não tem Tem

INFLORESCÊNCIA

conjunto de flores

Formato de espiga  mais alongado e estreito Flores dispostas em forma de uma espiga larga
FOLHAS Mais largas Pontiagudas, compridas e estreitas


 

Em países de língua portuguesa, as espécies do gênero Mentha são popularmente conhecidas como hortelãs, embora o nome menta, por vezes, também seja utilizado. Especificamente aqui no Brasil, de forma geral, costumamos chamar todas as mentas de hortelã, com exceção do Sul do País, onde são chamadas de menta.

 

Características da planta
 

Planta herbácea perene, que varia de 15 centímetros a 1 metro de altura, as mentas possuem folhas oval-lanceoladas muito aromáticas, de variados tons de verde a arroxeadas, muitas vezes rugosas, pilosas e serrilhadas nas bordas. Apresentando-se em inflorescências terminais do tipo espiga, as flores são pequenas e numerosas indo do rosa ou violeta.

Algumas espécies possuem caules púrpura.

 

 

Para Plantar

 

Crescem em ambientes ensolarados, mas toleram bem um leve sombreado. Precisam de terra sempre úmida e solo drenado. No início da primavera, renove a terra dos vasos e aproveite para desfazer o emaranhado das raízes e podá-las, se for necessário. Esta época é boa também para fazer novas mudas, através de estacas de galhos. Floresce no verão.

 

 

Importância Econômica

 

Por sua ação aromatizante, antifúngica e antibacteriana, as mentas são largamente utilizadas na indústria farmacêutica, cosmética, alimentícia e do tabaco, conferindo à planta grande importância econômica. Só a produção mundial de seu óleo essencial, concentrada nos Estados Unidos, já garante o mercado desta espécie.

 

As mentas estão entre as diversas espécies medicinais brasileiras mais importadas por países como a Alemanha, os Estados Unidos e os Países Baixos.
 

 

Uso culinário

 

Com um dos sabores e aromas mais conhecidos do mundo, as mentas são intensas, refrescantes, quentes e um tanto adocicadas.

 

Seu uso é comum em praticamente todas as cozinhas do mundo, predominantemente nas culinárias da Índia e Vietnã, do Oriente Médio, Norte da África e, também, países europeus como Inglaterra, Espanha e Itália.

 

As mentas condimentam carnes, legumes, saladas, doces, drinks e licores. Combinam bem com manjericão, cominhos, endro, gengibre, manjerona, orégano, salsa, pimenta e tomilho.

 

Acompanham muito bem todas as carnes de sabor marcante, como as caças exóticas e patos, além de ser parceira obrigatória da carne de cordeiro, inclusive em forma de geléia. São excelentes como ingrediente de molhos para guarnecer peixe e frango grelhados. Estão presentes nos kibes, kebabs e tabules árabes.

 

Combinam muito bem, também, com aromas cítricos e hortaliças de verão como  tomates, pepinos, batatas, berinjelas e abobrinhas. Curtida com vinagre dá toque especial para saladas e assados. Pode ser acrescentada em ovos mexidos e omeletes.

 

As mentas aparecem, também, em uma grande quantidade de doces e guloseimas - bolos, tortas, sorvetes, cremes, chocolates, licores, xaropes, gelatinas, balas, pastilhas, chicles e bolachas, entre outras. O efeito refrescante da erva, ainda, realça saladas e ponches de frutas. É bastante utilizada, também, para decorar sobremesas e sopas.

 

E, claro, com as mentas você pode, ainda, fazer um chá maravilhoso, que pode ser tomado sozinho ou aromatizando chás preto ou verde.

 

Forma de venda
Fresca, desidratada ou em pó, embora a primeira tenha melhor aroma e sabor.

 

Normalmente, é vendida fresca, em buquê ou em vasinhos, em mercados, varejões ou feiras-livres. Escolha as folhas vistosas e evite as que estiverem murchas e manchadas.

 

Como Conservar


Seca
- Guarde-a em vidros escuros, ao abrigo da luz, e não se esqueça de verificar o prazo de validade.
Fresca - Lave-a e guarde-a em saquinhos na geladeira, por alguns dias. Se plantada em vasinho, não esqueça de regá-la sempre.
Congelada - Lave bem as folhas da hortelã e pique-a, coloque-as em formas de gelo com água, leve-as a congelar, retire-as da forma e guarde-as em saquinhos fechados, próprios para alimentos.

 


Usos medicinais
 

As espécies e subespécies de Mentha não variam muito na composição dos grupos químicos, ocorrendo maior variação nos compostos específicos. Todas as hortelãs encerram em suas folhas vitaminas A, B, C, minerais (cálcio, fósforo, ferro e potássio), exercem ação tônica e estimulante sobre o sistema digestivo. Possuem, também, propriedades anti-sépticas, sedativas e ligeiramente anestésicas.

 

Algumas formas de uso medicinal:

 

  • Para picadas de insetos, colocar rapidamente muitas folhas amassadas em cima.

  • Para dores abdominais, tomar um copo de leite aquecido com algumas folhas de hortelã.

  • O chá é calmante e bom para gripes e resfriados. Além disso, commbate cólicas e gases, aumenta produção e circulação da bílis.

Infusão - 3 gs em 100 ml de água fervente não mais que 5 minutos.


Óleo medicinal - Mergulhar um bom punhado de folhas e flores amassadas em azeite por 4 dias para aplicações locais com massagens.

 

Efeitos colaterais: Não deve ser consumida em grande quantidade por crianças pequenas e lactantes, pois pode causar dispnéia e asfixia. Pode causar insônia se tomado antes de deitar.

 

USOS VARIADOS


Uso caseiro: Plantar perto das rosas para afastar os pulgões. Espalhar folhas frescas ou secas nas despensas, para afastar os ratos.


Uso mágico: Atribui-se às mentas poder afrodisíaco. Seu uso está associado aos feitiços de saúde, proteção, dinheiro e exorcismo.


Aromaterapia: Fortalece a auto-confiança, dissolve pensamentos negativos, medo e egoísmo.

 


 

 

 

Fontes: Enciclopédia Britânica

Botanical online

Historiadores de la Cocina

Fleischmann

Wiipedia

 
 
 

 

MENTA E HORTELÃ

 

Reino: Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Lamiales
Família:
Lamiaceae
Género:
Mentha

Espécies:
 

MENTA: Mentha spicata L

(Clique na imagem para ampliá-la)

 

Outros nomes: Menta, Hortelã-verde, hortelã-das-hortas, hortelã-comum, hortelã-das-cozinhas, hortelã-dos-temperos ou simplesmente hortelã

 

Outros idiomas:

Francês - Menthe

Italiano - Menta

Espanhol - Menta ou Yerba buena

Inglês - Mint
Alemão -
Minze

 

 

HORTELÃ: Mentha x piperita L 

 

Outros nomes: Hortelã-pimenta, hortelã-apimentada, hortelã-das-damas, hortelã-de-água-de-cheiro

 

Outros idiomas:

Francês - Menthe Poivrée

Italiano - Menta Piperita

Espanhol - Menta

Inglês - Peppermint
Alemão - Pfeffer-minze/Pfefferminz

 

 

O nome da espécie "piperita" vem do latim "piper", que significa "pimenta" e se refere ao sabor picante particular desta erva.

 

A Hortelã-pimenta é uma hortelã híbrida obtida do cruzamento entre Mentha aquatica e Mentha spicata . É usada popularmente como descongestionante nasal, antigripal, vermífuga, digestiva e analgésica. Possui mentol, substância da classe dos terpenos originalmente extraída do óleo essencial desta espécie.Também, pode ser usada como condimento.

 

Provavelmente, os primeiros exemplares procedentes do cruzamento das espécies selvagens Mentha aquatica e Mentha spicata foram produzidos de forma espontânea ou causal há alguns milhares de anos. Sabe-se que ela já era bastante usada na Antiguidade. Mas, coube aos ingleses a virtude de melhorar esta espécie geneticamente e produzirem sem seus hortos plantas com aromas mais refinados e agradáveis. Não sem razão, ainda hoje, a Menta piperita de melhor qualidade é a inglesa.


Foi da Inglaterra que a Mentha piperita chegou à América, onde os Estados Unidos se converteram no maior produtor do mundo. Na Europa, os principais produtores são França, que possui amplos campos na Provence, na Alemanha e na Itália.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltar ao topo topoopo  

 

  no  

 

APOIO:IO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 21 novembro, 2013.

 
 

Voltar ao topo