|

|

|

|

|

|

|

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Procure o tema de seu interesse dentro do Correio Gourm@nd

Google  

                 

Conheça os melhores endereços da cidade de São Paulo e seus arredores, onde adquirir produtos gourmands de qualidade. Muitos deles, entregam em todo  o  Brasil.

 

 
 

 

 

 

 

 

 
 

     
         
 

 
     
 
 

MACADÂMIA

Nome popular: nogueira-macadâmia; nogueira-do-havaí; noz australiana
Nomes científicos: Macadamia integrifolia Maid. & Bet.
Família botânica: Proteaceae
Origem: Austrália

 

Macadâmia

Francês - Noix de macadam  /Macadamier/Noisetier d'Australie

Italiano - Macadamia

Espanhol - Macadamia/Nuez de Queensland

Inglês - Macadamia nut / Australian nut
Alemão - Macadamianuß

 

 

Clique aqui

 e veja essas e outras

 imagens ampliadas

 

MACADÂMIA

A Rainha das Nozes

Virgínia Brandão

 

A Macadâmia é uma nogueira da Austrália, descoberta, coletada e classificada na década de 1850 nas províncias de Queensland. Porém, os primitivos arborígenes já se alimentavam destas nozes.

É a noz conhecida mais rica em óleo, atingindo até 78% de um óleo de alta qualidade, ajudando a equilibrar os níveis de colesterol, além da presença de ácido palmitoleico, um importante auxiliar na quebra de gorduras prejudiciais ao nosso organismo.

Características da planta: Árvore de 4 a 15 m de altura. Folhas lisas de bordos ondulados, de coloração acinzentada quando jovens. Flores brancas. Floresce duas vezes por ano.

Fruto: Arredondado com até 3cm de comprimento, casca avermelhada com polpa creme-esverdeada, carnosa, que encerra uma noz comestível. Frutifica de fevereiro a maio.

Cultivo: Prefere clima ameno e úmido. Ideal para planícies litorâneas. Não suporta geadas. Prefere solos férteis e profundos. Propaga-se por sementes, podendo ser plantada em qualquer parte do ano.
 

O fruto da macadâmia tem uma forma bonita e plácida: mais ou menos esférico, termina por um pequeno bico, como se fosse um seio humano. De cor verde, por seu lado externo, o carpelo pouco espesso e carnoso desse fruto encerra, em geral, uma noz que fica exposta quando sua casca se abre.

A noz, ainda fechada, cai sozinha da árvore. Por sua vez, dentro dessa noz, protegida por uma casca grossa que costuma ser extraída mecanicamente, fica a noz.
 

A noz, ou semente, de macadâmia é comestível, tem um leve sabor amanteigado, podendo ser consumida crua ou cozida depois de seca, e utilizada em confeitos, bolos e bombons em substituição a outras qualidades de nozes. Torrada, é muito apreciada como aperitivo, sendo mais da metade de sua produção mundial aproveitada desta última forma.
 

A noz de macadâmia, como é simplesmente chamada, é muito nutritiva e concentra altos teores de gordura, que variam entre 70 a 80 % de seu peso total. Por esse motivo, a extração de seu óleo é extremamente rentável e a qualidade obtida é comparável à do óleo de oliva.

 

A macadâmia é uma árvore rústica de origem australiana, precisamente originária das províncias de New South Wales e de Queensland, onde era encontrada em densas florestas naturais. Hoje em dia, é produzida, especialmente na Austrália e no Havaí, para onde foi levada no final do século passado, e em menor escala na África, na América Central e na Califórnia, onde chegou vinda do Havaí depois da Segunda Guerra Mundial.
 

Na América do Sul, a planta encontrou boas condições de aclimatação na vasta área que v ai desde o sul da Bahia, no Brasil, até o Uruguai.
 

As primeiras árvores de macadâmia plantadas no Brasil vieram da Califórnia para uma das chácaras da Companhia Dierberger de Limeira, em São Paulo, ainda no início dos anos 30, onde se iniciou a produção de mudas para comercialização. Seu cultivo, porem, destinava-se basicamente ao adorno de pomares domésticos. Aliás, a árvore da macadâmia é bastante ornamental, enfeitando com classe e elegância qualquer quintal.
 

 

Em 1948, técnicos do Instituto Agronômico de Campinas, em São Paulo, iniciaram experimentos para a adaptabilidade de seu cultivo comercial às condições climáticas do país. No início dos anos 60, a Dierberger, em nova iniciativa, importou do Havaí sementes de uma das muitas variedades existentes de macadâmia para proceder ao aprimoramento das variedades que seriam cultivadas no país.


A partir dos anos 80, e em especial na virada da década de 90, o cultivo da macadâmia tomou grande impulso. Hoje, estima-se que a maior parte das árvores plantadas no Brasil naquele período já terá atingido a maturidade, começando a produzir para valer: é que a macadâmia pode demorar entre 12 e 15 anos para chegar à sua máxima produtividade. Em compensação, a partir daí, não pára mais. Aliás, uma de suas principais características é a longevidade: sabe-se da existência de plantas com mais de um século de idade e ainda bastante produtivas.
 

 

 

 

Cada vez mais valorizada no mercado internacional, os negócios que giram em torno da produção e da comercialização da noz macadâmia movimentam muitos milhões de dólares ao ano. Trata-se, atualmente, de uma das culturas mais rentáveis existentes. Apesar da maior parte da produção brasileira ainda ser destinada ao mercado interno, o Brasil pode estar caminhando para tornar-se o maior produtor e exportador de macadâmia do mundo já que possui condições de solo e clima favoráveis para aumentar e muito a sua produção.

Hoje, grandes plantações de macadâmia estão instaladas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia, tendo sido, muitas delas, estabelecidas em consórcio com outras culturas, como café, laranja, limão, tangerina e maracujá.

 

 

Composição da nóz macadâmia

Composição para porção de 113 gramas

Aproximadamente 40 nozes

Calorias

727,00

Proteínas

9,23g

Gorduras

78,21g

Carboidratos

9,97g

Tiamina

0,22mg

Riboflavina

0,12mg

Niacina

1,60mg

Minerais

 

Potássio

373,00mg

Fósforo

171,00mg

Magnésio

119,00mg

Cálcio

36,00mg

Sódio

6,60mg

Ferro

1,80mg

Zinco

1,44mg

Manganês

0,38mg

Cobre

0,33mg

Composição dos ácidos graxos do óleo

 

Percentual

Oleato

67,14

Palmitoleat

19,11

Palmitato

6,15

Eicosinato

1,74

Stearato

1,64

Araquidato

1,59

Linoleato

1,34

Miristato

0,75

Laurato

0,62

                                                                                     FONTE: Fazenda Citra

 

 

Luiz Marino Netto
Companhia Dierberger de Limeira/SP

FONTE: Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa - USP
 

 

 

Receita com MACADÂMIA:

 

 


 

 

Voltar ao topo

 

 

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 14 maio, 2016.