CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

Mapa do Portal 

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

 

APROVADO

no CORREIO GOURM@ND

    

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

  ALIMENTOS
     
BEBIDAS
     
  UTENSÍLIOS
     
  EQUIPAMENTOS
     
  MARCAS

 

 

 

 


 

 

CADERNO SAÚDE & SABOR

Desfrute ao máximo...

 

Apoio cultural: 

 

 

 

 

Direitos dos diabéticos

 

A lei federal de n° 11.347, assinada em 27 de setembro de 2006 pelo Presidente Lula, está em vigor e determina que os pacientes com diabetes recebam, gratuitamente, do Sistema Único de Saúde - SUS, os medicamentos necessários para o tratamento, assim como os materiais exigidos para a sua aplicação e a monitoração da glicemia capilar. O texto da lei afirma que, para ter este direito, é preciso estar inscrito em algum programa de educação especial em diabetes.

 

Na prática, a pessoa precisa ir ao posto de saúde mais próximo de sua residência, e cadastrar-se como paciente com diabetes do SUS ou do Sistema de Informação em Hipertensão e Diabetes (Hiperdia). No mesmo local, deve-se pedir pelos medicamentos necessários ao tratamento, prescritos pelo médico responsável em uma receita que será ali apresentada.

 

Caso não seja plenamente atendido, paciente deverá relatar o caso à ouvidoria da Secretaria da Saúde do Estado ou do Município e, também, na própria sede da mesma. Se ainda assim não for atendido, em último caso, o paciente poderá entrar com uma ação judicial exigindo o fornecimento gratuito de todos os itens indispensáveis ao seu tratamento médico. Para tanto, precisará de um advogado, que pode ser público (Defensoria Pública, localizada nos fóruns de cada município) ou um profissional particular de sua confiança.

 

 

 

Como manter o diabetes sob controle

 

 

 

A prática regular de exercícios físicos e a alimentação balanceada são fundamentais para viver bem com a doença e merecem atenção especial por parte dos pacientes com a doença.

 

 

 

 

 

02/julho/2014 - O Diabetes é uma doença crônica, que ocorre com o aumento de açúcar no sangue causado pela deficiência na fabricação de insulina - o hormônio responsável pela absorção da glicose pelas células. A patologia atinge 171 milhões de indivíduos, aproximadamente, sendo 12 milhões deles brasileiros. Muitos pacientes tendem a crer que tomar remédio é suficiente para controlar o diabetes. A adesão ao tratamento é, sim, fundamental, mas outros dois fatores são essenciais para a qualidade de vida do paciente com a doença: a prática regular de exercícios físicos e a dieta balanceada - rica em vegetais, alimentos integrais e fibras, carnes magras, leite e queijos com baixo teor de gordura, além de pouco sal. Isso porque o sobrepeso ou a obesidade e o sedentarismo estão entre os principais fatores que levam ao diabetes tipo 2 e dificultam o seu controle. A idade superior a 45 anos e o histórico familiar são outras condições que favorecem o desenvolvimento da doença. O diabetes tipo 2 é o de maior prevalência, chegando a 95% dos casos e atingindo atualmente cerca de 14 milhões de brasileiros.

 

"A dieta é fundamental para manter os níveis glicêmicos adequados e prevenir as complicações da doença, como problemas cardiovasculares e lesões nos rins e nos olhos", alerta o Dr. Antônio Roberto Chacra, endocrinologista e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes. O excesso de glicose no sangue pode causar lesões nas artérias, por isso é importante adotar uma alimentação que melhore o controle glicêmico. Alimentos como aveia, gengibre, linhaça e chia, maçã, frutas vermelhas, nozes e castanhas, quinoa, peixes e soja cumprem bem esse papel, por serem ricos em fibras, antioxidantes ou fonte de gorduras boas com baixo índice glicêmico e excelentes fontes de ômega-3. É importante também que o diabético evite a ingestão de álcool. Por ser um carboidrato de absorção imediata, transformando-se rapidamente em glicose, o álcool também consome vitaminas na metabolização, que já são deficientes nas pessoas com a doença.

 

Para que o paciente adote uma dieta equilibrada, é preciso que o médico ou o nutricionista avalie suas necessidades nutricionais de forma individualizada. A dieta pode, inclusive, ser acompanhada de reposição de vitaminas, já que alguns medicamentos comumente usados no tratamento do diabetes podem causar carência de vitamina B12. O diabético deve ficar atento também aos alimentos diet. Ao contrário do que se imagina, nem todos eles são isentos de açúcar. Os produtos dietéticos são aqueles destituídos de um dos nutrientes básicos (carboidrato, gordura ou proteína) e destinados aos indivíduos que necessitam de dietas específicas. Assim, muitos produtos dietéticos podem não conter glicose, mas têm em sua composição amido (que pode ser convertido em glicose), frutose, além de gordura e sódio. Já os light são aqueles que apresentam uma redução de no mínimo 25% de um determina do nutriente - açúcar, gordura total ou saturada, sódio ou valor energético - em relação ao produto convencional da mesma marca. "Pacientes com diabetes devem verificar a composição dos alimentos nos rótulos e consumir com moderação alimentos light e diet, explica o Dr. Chacra.

 

Exercite-se para viver melhor

 

A prática regular de atividade física traz inúmeros benefícios ao corpo: melhora o condicionamento cardiorrespiratório e físico e auxilia no controle da pressão arterial, dos níveis de gordura no sangue e da glicose. A atividade física regular e saudável faz com que o açúcar do sangue diminua, já que melhora seu aproveitamento pelos músculos.

 

É importante que o paciente pratique exercícios sempre com a orientação de um profissional e respeite seus limites, moderando a intensidade e a duração da atividade de acordo com o tratamento individual. Uma avaliação médica e a automonitorização glicêmica - medida da glicose na ponta do dedo - devem ser feitas ante s para garantir o equilibro glicêmico durante e após o esporte, evitando assim a hipoglicemia (quando o nível de glicose no sangue fica muito abaixo das necessidades do organismo, geralmente inferior a 60 mg/dl).

 

Normalmente, a hipoglicemia é ocasionada pela omissão ou atraso de refeições, por exercícios físicos excessivos ou por doses elevadas de insulina e/ou alguns medicamentos para diabetes. Os principais sintomas são visão turva ou dupla, confusão mental, cefaleia, sonolência, fraqueza, tontura, desmaio, batimento cardíaco acelerado e transpiração. "Se o paciente sentir qualquer desses sintomas durante a atividade física ou ao longo do tratamento, é imprescindível que ele relate ao médico para que ele adapte o ritmo do exercício e o tratamento às necessidades do paciente", finaliza o Dr. Chacra.

 
  Você gostou? Então compartilhe!!  
 
 

Voltar à página principal de Saúde e Sabor

 
 

 

    Voltar ao topo/a>  

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo