Viajar e comer - prazeres indissolúveis            

 

 

   
 

GRÉCIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O PAÍS E SUA GENTE

 

 

A República Helênica, nome oficial da Grécia (Ellinikí Dimokratía ou Ellás, em grego), é um país europeu situado no sul da península dos Balcãs. Sua superfície de 131.957 km2 inclui várias ilhas nos mares Jônico e Egeu, que ocupam cerca de um quinto da extensão total. Faz fronteira com a Turquia, a leste; com a Bulgária e a Macedônia, ao norte; e com a Albânia, a noroeste. O nome latino Grécia deriva de graeci, com o qual os romanos denominaram a tribo dos beócios, estabelecida na Itália até o século 8 a.C.

 

Geologia e relevo

 

A montanha e o mar são os dois elementos dominantes na paisagem grega. Três quartos do país são cobertos de montanhas e de tal maneira o mar invade a terra, com inúmeros golfos, que o ponto mais afastado da costa dista dela apenas oitenta quilômetros. O relevo tem como principal nó orográfico a cadeia do Pindo, prolongamento das montanhas balcânicas, na direção noroeste-sudeste. Do Pindo partem algumas ramificações, como o maciço do monte Aeta, que se estende, também na direção sudeste, pelos montes Parnaso, Kizeron e Helicon. Na direção leste partem do Pindo duas cadeias que delimitam a bacia da Tessália. Na porção mais setentrional ergue-se o famoso monte Olimpo, com 2.918m, ponto culminante da Grécia. Na península do Peloponeso, separada do continente europeu pelos golfos de Patras e de Corinto, erguem-se os montes de Acaia e Arcádia.


As regiões naturais da Grécia são: a Macedônia e Trácia, ao norte, montanhosas e com planícies litorâneas de origem aluvial; a Grécia central, onde se encontram a Tessália e a Ática, com férteis vales; o Peloponeso, zona muito montanhosa mas com vales litorâneos; e Creta, a maior ilha do país, com montanhas que atingem quase 2.500m de altitude.


Clima e hidrografia

 

O clima é mediterrâneo em grande parte do território, com sensíveis diferenças entre as regiões localizadas a oeste do Pindo, mais quentes e úmidas, e as orientais, mais secas e de temperaturas mais baixas. Nas regiões montanhosas ocorrem climas semi continentais.


A hidrografia grega é pobre, devido à abundância de solos calcários, que determinam represamentos subterrâneos. Os rios são curtos, com volume irregular durante o ano, não são navegáveis e têm limitadas possibilidades para a irrigação. Os principais cursos fluviais gregos são o Vardar, o Struma e o Nestos, que cruzam a Macedônia e a Trácia para desembocar no mar Egeu.


Flora e fauna

 

A vegetação é tipicamente mediterrânea (pinheiros, oliveiras, vegetação rasteira e matas esparsas) nas regiões meridionais e centrais. No norte prevalece o tipo de vegetação característico da Europa central, com florestas mistas. Nas planícies predomina vegetação arbustiva e herbácea. Nos planaltos do centro e do sul aparecem árvores de folhas caducas, sobretudo o carvalho e o castanheiro. Acima de 200m estendem-se florestas e cerrados.


Nas regiões centrais, sobretudo nas zonas de floresta, a fauna é do tipo centro-europeu, com ursos, lobos, javalis, linces, martas, corças, camurças e vários répteis. No litoral predominam as espécies mediterrâneas, como o chacal, o bezoar (espécie de cabra selvagem) e o porco-espinho. Entre as aves, salientam-se pelicanos, garças, cucos e cegonhas. Muitas espécies do norte da Europa migram para a Grécia durante o inverno.


População


A população grega é de raça branca, embora se encontrem pessoas de pele escura devido à mestiçagem ocorrida durante a dominação turca. Outros grupos étnicos, além da maioria grega, são os macedônios, albaneses, búlgaros, armênios, turcos e ciganos. A língua oficial e mais falada é o grego moderno, que conserva os mesmos caracteres gráficos do grego clássico, mas é sintaticamente mais simples. O tipo de povoamento rural compreende desde pequenas comunidades montanhesas, semelhantes às da Europa central, até as maiores do sul e de Creta, semelhantes às do norte da África. O desenvolvimento econômico e a influência do turismo favorecem o êxodo do campo para a cidade, o que determina uma concentração de mais de dois terços da população nas zonas urbanas. A principal cidade é Atenas, a capital, que com seu porto, o Pireu, constitui a maior concentração demográfica da Grécia e um importante centro industrial e portuário. Seguem-se, em importância, Tessalonica, na Macedônia, e Heracléia (Cândia), em Creta.


Com exceção de Chipre, sul da Albânia e Turquia, não há grupos gregos nos países vizinhos, mas há importantes comunidades gregas no oeste da Europa, na América e na Austrália. Os limitados recursos econômicos da Grécia sempre foram motivo de emigração. Enquanto no período clássico ela se dirigia para o resto do Mediterrâneo, nos tempos modernos se voltou para os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Alemanha e Bélgica, embora a crise econômica mundial de 1973 tenha freado a corrente migratória.


Economia


A Grécia experimentou um rápido desenvolvimento econômico depois da segunda guerra mundial, apesar da limitação de seus recursos naturais e da excessiva burocratização. O país vinculou-se economicamente à Comunidade Econômica Européia (CEE) em janeiro de 1981 e, em julho de 1992, o Parlamento ratificou a adesão grega à União Européia, regulada pelo Tratado de Maastricht. Embora a economia grega tenha se baseado tradicionalmente na iniciativa privada, a intervenção pública aumentou bastante -- sobretudo com a chegada ao poder do Movimento Socialista Pan-helênico (Pasok), em 1981 -- até controlar mais de dois terços da atividade econômica, especialmente produção de energia, estaleiros, comunicações, seguros e bancos. A partir de 1970 observou-se uma queda significativa no número de pessoas empregadas na agricultura e um aumento proporcional de trabalhadores nos setores industrial e de serviços.


Agricultura, pecuária e pesca

 

 Aproximadamente trinta por cento da superfície total da Grécia são aráveis, sessenta são usados como pastos ou estão cobertos por florestas e os outros dez são improdutivos. A produção agrícola é economicamente importante, apesar do solo rochoso, das chuvas escassas, do excesso de minifúndios e da utilização de técnicas agrícolas obsoletas. As principais lavouras são as de trigo, cevada, arroz, algodão, fumo e batata, no norte; as regiões centrais, o sul e as ilhas produzem melões, figos, tomates, uvas e azeite. A pecuária é constituída, principalmente, de rebanhos ovinos e caprinos; na Tessália, há criação de gado bovino. Os produtos florestais não são economicamente importantes.


A grande extensão do litoral e a tradição marítima impulsionaram a modernização da frota pesqueira. Entretanto, o relativo esgotamento piscícola do Mediterrâneo transformou a Grécia em importador de produtos da pesca.


Energia e mineração

 

A produção de energia elétrica, baseada na linhita e nas quedas-d'água, aumentou a partir de 1950, em virtude de investimentos feitos pela Empresa Pública de Energia, que contou com ajuda financeira e técnica dos Estados Unidos. A Grécia não é rica em recursos minerais, exceto em bauxita, de que é um dos principais produtores europeus. Há também produção de linhita, manganês, ferro, zinco, chumbo, ouro e diamantes. A produção de petróleo e de gás natural no norte do mar Egeu começou em 1981.


Indústria

 

Algumas empresas de grande porte, concentradas em Atenas e Tessalonica, dividem a atividade industrial com milhares de pequenas empresas que não empregam mais de dez trabalhadores por unidade. Devido às fortes diferenças regionais, a CEE considerou que todo o território da Grécia, à exceção da Ática e da Tessalonica, reúne os requisitos necessários para receber ajuda do Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional.


Finanças e comércio

 

O Banco da Grécia, fundado em 1928, dirige a política monetária do país e supervisiona todas as operações bancárias. As ruínas da antiga civilização helênica, as aprazíveis ilhas e o clima ensolarado fizeram da Grécia uma potência turística. O turismo e as remessas dos imigrantes e marinheiros compensa parcialmente o déficit do comércio exterior e o saldo negativo da balança de pagamentos. As principais importações consistem em petróleo, maquinaria e produtos químicos e alimentícios. As exportações incluem alimentos, bebidas, madeira e diamantes.


O transporte terrestre, tanto rodoviário como ferroviário, tem menos importância que o marítimo, já que a Grécia conta com uma das maiores frotas mercantes do mundo. O transporte aéreo é servido por uma companhia nacional e várias companhias estrangeiras. O país dispõe de modernos aeroportos, especialmente em Atenas e Creta.

Fonte: Enciclopédia Britânica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique no mapa para ampliá-lo

 

 

 

 

Voltar à página principal de ROTEIROS INTERNACIONAIS

 

 

   

  Milkonos Voltar ao topo  

 

no Correio Gourm@nd

 
 

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.