CORREIO GOURMAND    

Home

|

O CORREIO GOURMAND

|

CUPOM GOURMAND

|

SORTEIO DO MÊS

|

PREMIADOS

|

PROMOÇÕES

PROMOÇÕES

CORREIO GOURMAND

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA CADERNO DE NOTÍCIAS DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

 

CADERNO DE CULTURA GASTRONÔMICA

CADERNO DE NOTÍCIAS

DICIONÁRIOS GASTRONÔMICOS

CADERNO SAÚDE & SABOR

CADERNO FOODSERVICE

CADERNO DE RECEITAS

VÍDEOS GOURMANDS

CADERNO ROTEIROS TURÍSTICOS

CADERNO DE TURISMO

Mapa do Portal 

 
GUIAS GOURMANDS

GUIA ONDE COMER BEM

GUIA ONDE SE HOSPEDAR
GUIA FAZENDO FESTA
GUIA DE ESCOLAS E CURSOS DE GASTRONOMIA
GUIA ONDE COMPRAR PRODUTOS GASTRONÔMICOS
GUIA DO MERCADÃO DE SÃO PAULO
 

  CADERNO TURISMO  

CADERNO DE TURISMO

Viajar e comer - prazeres indissolúveis...

  Apoio cultural:  

 
    BRASIL - Terra de paz, alegria e trabalho

 

 

HISTÓRIA DO BRASIL

 

 

A história do Brasil começa pelo descobrimento, episódio que é conseqüência da expansão européia, sobretudo portuguesa, na conquista do "mar tenebroso" e na superação do Atlântico como barreira geográfica. Essa conquista, que distanciou subitamente os portugueses dos restantes povos europeus, constituiu um movimento inteiramente novo, que mudou a fisionomia do mundo. Mas no que concerne especificamente à descoberta do Brasil, há controvérsias: teria sido fruto do acaso ou houve uma intencionalidade velada dos portugueses? Teriam sido os navegadores lusitanos os primeiros a chegar à nova terra, ou houve precursores de Cabral na rota do Atlântico brasileiro? Seja como for, ao iniciar-se o século 16, Portugal inaugura a principal via marítima de passagem, a rota atlântica para as especiarias asiáticas, ao mesmo tempo em que minguava a tradicional função histórica do Mediterrâneo. Marco primordial do universalismo renascentista, a descoberta do Brasil inicia a expansão colonial e comercial européia na época moderna.

 

 

 

CADERNO TURISMO

 

A frota de Pedro Álvares Cabral foi a maior esquadra até então enviada para singrar o Atlântico: dez naus, duas caravelas e uma naveta de mantimentos. Embora não se conheça o nome da nau capitânia, é certo que se chamava El Rei a nau sota-capitânia, chefiada pelo vice-comandante da armada, Sancho de Tovar. A outra cujo nome sobreviveu ao tempo é a Anunciada, capitaneada por Nuno Leitão da Cunha. Pertencente a dom Álvaro de Bragança, filho do duque de Bragança, fora equipada com os recursos de Bartolomeu Marchionni e Girolamo (ou Jerônimo) Sernige - banqueiros florentinos que viviam em Lisboa e investiam no tráfico de especiarias. As cartas que eles trocaram com seus sócios e acionistas italianos preservaram o nome do navio.

 

CADERNO TURISMO

Quadro "Brasil", do artista polonês Thomas Kostecki que compôs uma série de obras que glorificam a Expansão Marítima portuguesa

 

 

 

 

 

 

 

 

 HISTÓRIA DO BRASIL
 Período Colonial
 Império
 Primeira República (1889-1930)
 Segunda República (1930-1937)
 Ditadura Militar (1964-1985)
 República Democrática atual
 

Tratado de Tordesilhas

 

 

 

Pedro Álvares Cabral

 

 

Indígenas são levados à nau de Cabral




 

Fontes: Enciclopédia Britânica

Infoescola

Novo Milênio









 

próximo


CADERNO TURISMO

  Vista parcial do Monumento aos Descobrimentos, à margem do rio Tejo, em Lisboa, Portugal. Construído em 1960 para assinalar os 500 anos da morte de D. Henrique, o Navegador, tem 52 metros de altura e celebra os marinheiros, patronos reais e todos os que participaram no desenvolvimento da Era dos Descobrimentos. O monumento tem a forma de uma caravela, com o escudo de Portugal nas laterais e a espada da Casa Real de Avis sobre a entrada. D. Henrique, o Navegador, ergue-se à proa, com uma caravela nas mãos.

Voltar ao topo

 

 

no Correio Gourm@nd

 
 

 

APOIO:

 

 

 

 

Ovadia Saadia Comunicações

 

 

 

 

 

 

|

|

 

Copyright ©  -  VB Bureau de Projetos e Textos

Atualizado em: 02 janeiro, 2018.

 
 

Voltar ao topo